quarta-feira, 24 de março de 2010

O funeral do meu sogro

Há cerca de um mês atrás, o meu sogro faleceu. E como o meu namorado não foi criado por ele, ele ficou bem triste, mas foi algo controlável durante o dia da tragédia. O enterro foi em Jacarepaguá e ele me pediu para acompanha-lo. E eu fui...

Pela distância, o óbvio aconteceu, chegamos atrasados. Corremos até o túmulo para tentar enxergar algo, mas eu preferi parar no meio do caminho e deixar o meu namorado ir 'se despedir' do pai. Cumprimentei todos os poucos parentes que eu conhecia e os muitos que eu não conhecia. Após o enterro, descemos pelo caminho principal, todos juntos andando e os irmãos do falecido conversando.

"-Éé, era pra ser fulano agora, mas ele pulou. Quem será o próximo?" - disse uma das irmãs.
"-Você, se voltar à ordem antiga, mas se for pular de novo, deve ser Fulana, eu sei que eu sou o último!" - disse um irmão. 
"-Nem vem, se ele pulou não é problema meu! A próxima é fulana mesmo!" retrucou a 'próxima suposta vítima'.

Por um momento, pensei comigo "Nossa, é um funeral. Era pra todos estarem chorando, mas estão discutindo quem será o próximo?!". Eu, hein! Vai entender...

 Nesse dia, passei a amar um pouco mais a minha família!

2 comentários:

Rafael Peres disse...

Esse jogo de empurra parece aquele filme: Premonição. Qual será o próximo do "esquema da morte"?

Anônimo disse...

o FUNERAL É APENAS UM RITO DE PASSAGEM, ONDE CULTURALMENTE ASSOCIAMOS A "PERDA" AO SOFRIMENTO; É NATURAL PESSOAS SATIRIZAREM OU PRESENCIAR TIPOS DIFERENCIADOS DE HUMOR- SARCÁSTICO, NEGRO, GENTIL , ETC.pODE-SE ATÉ MESMO SE IDENTIFICAR O LAZER EM UM FUNERAL QUANDO ANALISAMOS OS PARTICIPANTES INDIRETOS. ACHEI BACANA SUA OBSERVAÇÃO DOS COMENTÁRIOS QUE OUVIU, MAS VÁ SE ACOSTUMANDO, PQ EU JÁ VI MUITA COISA DIFERENTE EM VELÓRIOS.
UM ABRAÇO