terça-feira, 13 de abril de 2010

Um portão vazio

Todos os dias quando eu descia pra ir à escola, tempos mais tarde, à faculdade, aos estágios e trabalhos, encontrava minha vizinha, uma velha senhora já por volta de seus 80 anos encostada em seu portão. Ela era conhecida como "Dona Silvia" e era uma criatura muito simpática na maioria das vezes, e ranzinza, como a maioria dos idosos. 

Por diversas vezes eu passava por ela com pressa, atrasada ou simplesmente, sem tempo pra perder ouvindo 'lorotas' da pobre velhinha. Mas ela sempre estava lá, no portão. Nos dias de chuva ou de sol, de manhã bem cedo ou à noitinha. Eu sempre 'fugia' dela. Ela vivia sozinha, extremamente solitária.

Há não sei quanto tempo, a filha dessa senhora a enviou para um asilo. O local fica próximo à antiga casa dela, mas mão é a mesma coisa. Todos sabemos disso!!!

Agora não preciso mais correr quando passo em frente ao portão vizinho, não fico mais horas ouvindo as histórias dela, nem suas lamentações acompanhadas de muitas lágrimas, uma cena que me matava por dentro. Agora tudo o que vejo, e não somente eu, mas toda a vizinhança, é uma casa cheia de mato e um portão vazio!