quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Autonomia profissional


Independência, tomar decisões, ter autonomia. Isso é uma das melhores sensações durante o exercício de uma profissão. O crescimento que a autonomia te permite é, no mínimo, intenso e satisfatório. Mas como exatamente tudo na vida, há o lado ruim.

Decisões que só dependem de ti. Tomar decisões, ainda que simples ao seu modo de ver, mas que influenciam diretamente na vida das outras pessoas.

Aprovar um acordo, uma proposta, uma ação ou um contrato. Ser o determinador do "sim" ou do "não" nem sempre te deixa em uma situação confortável. Exato, autonomia, por vezes, se torna indiretamente proporcional ao conforto. Tudo é relevado na tomada de uma simples decisão, desde um simples anúncio até escolha e a contratação de um profissional / estagiário.

Algo ressoa todos os dias na minha mente: "você é a responsável".  Não sou apenas responsável pelo que cativo, como escreveu o querido Antoine de Saint-Exupéry. Sou responsável pelo que chega a mim, pelo que as pessoas esperam e solicitam. Por formar profissionais, tal como fizeram a mim. Por aprender a ser uma líder admirável, assim como eu tive os meus.

Jamais direi que estou insatisfeita, autonomia profissional é algo que muitos almejam. E eu ainda tenho muito o que aprender...